fbpx

5 Estratégias de Aprendizagem para ir Além do Óbvio

Antes de entrarmos no assunto de estratégias de aprendizagem, eu preciso te perguntar uma coisinha: quando o assunto é planejamento de aulas, por onde você começa? Conteúdo? Objetivos? Avaliação? Recursos didáticos?

 

Depois de ter o planejamento pronto, como que você distribui o tempo da sua aula? Durante o Amplifica Práticas Pedagógicas Além do Óbvio, o Tiago Beviláqua apresentou a fórmula de distribuição dele:

O que chama a atenção aqui é o que o Tiago chama de “momento metacognitivo”, que significa levar cada aluno a discutir e a pensar sobre determinado aprendizado e este momento por vezes é compartilhado, seja em pares, trios, quartetos ou em grupos maiores. Os resultados desses momentos metacognitivos são: profunda troca de conhecimento e diferentes percepções entre os alunos e gerar uma conexão maior entre os estudantes, o professor e o conteúdo.

 

Proporcionar trocas é essencial para o aprendizado dos alunos e quantas vezes você já promoveu momentos como esses em suas aulas?

 

Para você começar a planejar os momentos das suas aulas pensando nos momentos de reflexão, troca e compartilhamento entre os alunos, separamos algumas estratégias de aprendizagem que fujam do óbvio. Segue o fio:

É uma estratégia onde os alunos são convidados a trabalhar a diversidade e a complexidade no grupo, fazendo emergir a inteligência coletiva, além de conseguir explorar com maior profundidade os temas propostos na aula.

O World Café acontece com a divisão da turma em vários grupos, onde são levados a discutir uma pergunta central. A ideia é que os alunos circulem entre os diversos grupos e conversas, conectando e polinizando as idéias, tornando visível a inteligência e a sabedoria do coletivo. Ao final do processo (ou ao longo do mesmo, caso seja necessário) faz-se uma colheita das percepções e aprendizados coletivos.

 

Que tal conversar sobre um determinado assunto, mostrar uma ideia ou se apresentar para outra pessoa em poucos minutos? A proposta do Speed Dating é justamente essa! Os alunos são colocados em duas fileiras, de modo a ficar um de frente para o outro e conversam sobre determinado assunto por um tempo pré-determinado. É importante determinar um tempo para que os dois falem e ouçam.

Você pode usar esta estratégia para conversar sobre determinado assunto, assim como para quebrar gelo entre os alunos, também para que eles apresentem projetos ou para estimular a troca de informações.

 

O aquário é uma estratégia onde os alunos são convidados a conversar em grupo, de maneira plural e democrática, no qual as pessoas estão, necessariamente, dispostas de forma concêntrica.

É importante que as cadeiras estejam dispostas em um círculo e uma esteja sempre vazia, para que outros participantes se sintam convidados a debater sobre o tema em questão. O papel do facilitador é extremamente importante para esta estratégia, pois ele é quem será o responsável por fazer o termômetro da discussão e lançar os temas que serão debatidos, ou as perguntas-motivadoras do momento. Os demais alunos ficam em um círculo maior, observando os assuntos que estão sendo debatidos, podendo entrar na discussão sempre que se sentirem inquietados pelo tema em questão.

 

A dramatização é uma técnica que consiste na realização de um tipo de apresentação teatral, onde são demonstradas determinadas situações, funcionando tanto para quem participa da peça teatral, como para quem assiste a sua apresentação.

É importante levar os alunos a entenderem o processo de criação de uma peça dramática, determinando o problema/tema que será apresentado, dividindo as equipes para preparação da dramatização, estudo sobre os pontos a serem abordados, preparação do enredo, ensaio e apresentação.

 

Esta estratégia consiste em apresentar situações não necessariamente vividas pelos alunos cotidianamente, mas que podem sim ocorrer, na maioria das vezes em grau maior de complexidade ou gravidade, e treinar na prática os alunos para que saibam exatamente o que fazer em situações similares.

Aqui são apresentadas situações hipotéticas, como, por exemplo: simulação de um tribunal, simulação de uma votação do senado ou câmara, simulação de um encontro entre nações e, também, simulações do tipo escape room.

Com estas 5 estratégias você começa a transformar a sua sala de aula em um ambiente de aprendizagem ativa, capaz de fomentar a autonomia, a colaboração, o senso crítico, a empatia, a participação, a confiança e o protagonismo dos seus estudantes.

 

E por falar em aprendizagem ativa, que tal aprender um pouco mais sobre Metodologias Ativas? Neste link você acessa um toolkit super especial que preparamos com várias metodologias para você transformar a maneira como os seus alunos aprendem, independente do nível ou da modalidade de ensino. Clique aqui para acessar o toolkit.

Avatar
Dani Veronezi

Pedagoga, Mestranda em Design, Google Innovator e Especialista em Transformação Digital e Inovação Educacional, mas o que interessa mesmo é que é roqueira desde criancinha, carnavalesca de carteirinha e fã de internet!

5 Comments
  • Avatar
    Posted at 20:41, 20 de dezembro de 2019

    Muito bom conhecer novas estrategias e novos olhares sobre a pratica pedagogica diferenciada. Parabéns!

    • Carla Arena
      Carla Arena
      Posted at 11:10, 23 de dezembro de 2019

      Que bom que curtiu, Ana Paula. A ideia é que realmente seja de valor para as práticas pedagógicas dos professores.

  • Avatar
    Posted at 21:02, 20 de dezembro de 2019

    Excelente ter essa experiência de compartimento de metodologias ativas para além do óbvio, super trilha de aprendizagem com pessoas tão diferentes e com uma vibe do bem!

    Yeahhh, wooohoooo

    • Carla Arena
      Carla Arena
      Posted at 11:10, 23 de dezembro de 2019

      Rúbio,

      Nós que temos que agradecer você com a gente pertinho em nossa comunidade para uma educação de qualidade.

  • Avatar
    Posted at 17:01, 23 de dezembro de 2019

    Muito bom!!! Excelente conteúdo! 🙂