fbpx

#Ampliflix100 | Arrase no Design de Apresentações

E chegamos a 100 edições do Ampliflix! Faça chuva ou sol, a Samara tentando enrolar a Carla, mas sem sucesso. 100 sem interrupções, com falhas, imperfeitos, mas sempre nos doando para trazer valor para a comunidade educacional com convidados, dicas práticas, ideias, reflexões, com uma pitada de bom humor e descontração.

Assim chegamos a 100 ampliflix de inspiração com uma convidada super especial que veio comemorar com a gente, Karla Vidal, educadora, designer, maker, empreendedora do Proflab e Pipa Comunicação, parceira sem igual que nos deixou de presente vários insights e novas ideias sobre apresentações, principalmente como forma de expressão, uma experiência de leitura com navegação cognitiva!

Confira aqui nosso presente do #Ampliflix100, uma playlist com a live que gravamos com a Karla e outras dicas bacanas no uso interativo e potencializado do Google Slides. Arrase em suas apresentações.


E aqui a Karla gentilmente consolidou e nos deixa suas notas sobre o que você realmente deve focar.

  1. Crie a apresentação que você gostaria de ver. Parece abstrato, mas é plenamente possível. Assista a apresentação no Modo Apresentação do software ou app. Coloque-se no lugar do seu espectador. Ao assistir a gente sente quando há algo que não está legal e a experiência de leitura não está tão boa.
  2. Experiência de leitura não é só a leitura do texto verbal (as letrinhas). É toda a ‘navegação cognitiva’ que você faz pela tela. Isso envolve as cores, as imagens, as animações, as margens, os alinhamentos e o texto verbal.
  3. Pesquise referências, mas também experimente partir da folha em branco. É ela que garante sua liberdade de criação. Pense como um um jogo em que você tem um catálogo de elementos e pode brincar montando eles da forma visual que passa a sua mensagem de uma forma confortável para quem lê e que mais agradar visualmente você.
  4. Comece pelo formato. Um formato mal escolhido pode gerar uma experiência de leitura ruim. Descubra o formato de tela do dispositivo que vai exibir a sua apresentação. Em geral a proporção 16:9 (1920x1080px ou 1280×720 px) atende a quase todos os formatos de dispositivos.
  5. Defina sua cartela de cores e seja fiel a ela. Pesquise, anote o código hexadecimal (ou RGB para outros apps) e monte sua cartela personalizada. Assim você evita erros ao tentar escolher a cor por aproximação. Para ajudar consulte sites como o https://coolors.co/ que oferece cartelas de cores prontas e também deixa que você monte as suas próprias. Entender um pouco sobre a teoria das cores é importante. A escolha delas não costuma ser aleatória e sim funcional (significado das cores, contraste para garantir etc)
  6. Em relação a tipografia é importante sempre escolher uma família tipográfica completa (Roboto, Open Sans, Raleway, Montserrat etc) Uma família completa vai apresentar vários estilos da mesma fonte que você pode utilizar para cada tipo de bloco de texto na sua tela (títulos, subtítulos, parágrafos etc). Lembre que, assim como as cores, as famílias tipográficas foram criadas em diferentes contextos históricos e são carregadas de significados. Exemplo: famílias tipográficas criadas no período da Revolução Industrial, muito utilizadas em rótulos de produtos manufaturados e publicidade de equipamento da época e que deixaram o seu conteúdo vibrando nessa atmosfera. Outro exemplo: tipografias criadas para histórias em quadrinhos que deixaram o seu conteúdo  vibrando nessa atmosfera. A escolha da tipografia vai comunicar algo que pode não ser a mensagem que o seu conteúdo que passar.
  7. Busque sempre utilizar imagens com boa resolução. Uma dica de ouro é trabalhar com PNGs transparentes que são imagens com fundo recortado. Dessa forma você pode realizar sobreposições e ampliar o espaço de criação. Um site legal para pesquisa é o https://www.kisspng.com/. Para ícones transparentes eu indico o https://www.flaticon.com/
  8. Misture ferramentas. Nem sempre um app só vai dar conta do recado. Às vezes é necessário dar mais passos para ter uma tela de impacto e esse investimento vai trazer um retorno positivo para a sua apresentação.
  9. Graficamente falando: o que o seu público quer ver? Entender o contexto e pesquisar tendências é essencial.
  10. Preste muita atenção na narrativa. Uma boa apresentação tem até mais a ver com isso do que com o design gráfico em si. Mirar e acertar nesse combo é a chave pra o sucesso.

 

Um slide roxo em homenagem à Carla!

Carla Arena
Carla Arena

Malabarista, curiosa, eterna aprendiz, geek, educadora. Carla é apaixonada por aprender e retribuir. Por isso, se tornou professora e focou em desenhar experiências de aprendizagem para educadores e gestores. Carla sente-se privilegiada em ter trabalhado por 17 anos em uma Binacional em Brasília, a Casa Thomas Jefferson, onde foi Coordenadora do Departamento de Inovação e Tecnologias. Adora estar cercada por pessoas que a inspiram. Para Carla, ser AMPLIFICA significa começar movimentos, conectar educadores e profissionais fantásticos em busca de novos horizontes no meio digital.

No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.